Confira o resumo do que rolou no Email Evolution Conference 2018

 Em Email Marketing

No início de abril, nosso CEO Vinícius Correa embarcou para New Orleans, nos EUA, para participar do Email Evolution Conference 2018. Esse é um dos maiores e mais respeitados eventos de e-mail marketing do mundo. Vamos mostrar aqui o resumo do que rolou no Email Evolution Conference 2018.

O maior objetivo dessa viagem foi descobrir as maiores tendências do mundo do e-mail marketing e o que empresas como a Microsoft estão fazendo para ampliar o engajamento com sua audiência através do e-mail. E, obviamente, trazer para você, tudo o que aprendemos por lá!

Siga aqui com a gente para ficar a par de tudo o que aconteceu no evento. Vamos lá!

No primeiro dia, Vinícius participou de 3 sessões:

– Using AI-Driven Dynamic Email Composition to Develop 1:1 Relationships with Microsoft’s Customers

Ian Thomas, Microsoft

Se você possui um Xbox e recebe os e-mails da Microsoft, você está sendo impactado por inteligência artificial! Nessa palestra, Ian Thomas descreveu todo o processo de implantação de inteligência artificial na estratégia de email marketing da Microsoft. Eles estão usando um sistema de aprendizado de máquina com supervisão humana e implementando-o aos poucos.

O sistema de inteligência artificial da Microsoft atua de forma preditiva para gerar conteúdo de e-mail personalizado, para prever o melhor horário de envio e para realizar as tarefas rotineiras de agendar e realizar o disparo.

Após o envio, este mesmo sistema avalia os resultados e otimiza as segmentações para futuros envios.

Veja na imagem abaixo como funciona o processo:

Mesmo utilizando sistemas de inteligência artificial, a Microsoft deixou claro que utiliza segmentações “tradicionais” como ponto de partida para seus testes, além de usar e abusar de Teste A/B de conteúdo.

Veja na imagem abaixo um exemplo de segmentação tradicional, com Teste A/B e com modelagem de propensão de cliques para os segmentos de RPG e “Crafter”:

Ficou evidente que a inteligência artificial trouxe aumento no engajamento, mas antes de implementar um sistema desse tipo, é fundamental analisar todo o histórico de interações e vendas.

Veja os principais aprendizados da Microsoft com inteligência artificial no email marketing até agora:

Ian Thomas deixou claro que eles não deixam de considerar dados históricos para criar suas automações. Apenas uma parte das automações são gerenciadas pelo sistema de inteligência artificial. Contudo, eles pretendem investir cada vez mais esforço nessa estratégia.

– The state of Email: Insights on Email Workflows Deliverability, and More from 3,500+ Marketers

Chad White, Litmus

Ouvir a Litmus é sempre bom demais. Trata-se de uma empresa referência mundial em qualidade de conteúdo de e-mail. Na sessão apresentada por eles, foi dado um foco muito grande no planejamento da comunicação por e-mail.

Chad White afirmou que todo briefing de campanha de e-mail deve responder claramente a estas 5 perguntas:

Estas são as perguntas (traduzidas):

1. Quem deveria receber essa mensagem?

2. Qual ação queremos que os contatos executem?

3. Por que eles vão executar a ação que queremos?

4. Quando eles deveriam receber a mensagem?

5. Onde é mais provável que eles leiam a mensagem (dispositivo)?

E você? Tem feito o dever de casa e criado briefings para cada uma de suas campanhas?

Chad White afirmou que, após ter as 5 respostas para estas perguntas, é necessário ter um checklist de verificação para rodar antes de agendar todas as campanhas. Veja o que deve conter nesse checklist:

E você? Usa um checklist antes de agendar suas campanhas?

Outro ponto de grande importância levantado na sessão da Litmus foi em relação ao aluguel de listas. Mesmo no mercado norte-americano, há empresas que oferecem aluguel de listas como se as mesmas fossem “100% opt-in” e segmentadas por interesse dos consumidores.

Como sempre dizemos aqui na Mailbiz, isso é um atalho que, na prática, não existe e tende a nunca funcionar. Veja a conclusão que a Litmus chegou sobre aluguel de listas após analisar mais de 300 empresas que adotaram essa prática:

Traduzindo: “Nós entrevistamos mais de 300 profissionais de marketing e encontramos sinais de muita confusão sobre como um aluguel de lista deveria ser feito. Alguns aluguéis de lista eram, na verdade, compras de listas“.

Como sempre dizemos, não busque esse tipo de atalho. Alugar ou comprar listas significa manchar a imagem da sua empresa, reduzir sua entregabilidade e, na grande maioria dos casos, jogar dinheiro fora!

Crossing the Generational Divide with Email

David Miller, Egg Strategy / Len Shneyder, Sendgrid

Nessa palestra, David Miller e Len Shneyder apresentaram os principais resultados do estudo The Future of Digital Communication, visando compreender como as diferentes gerações interagem com o e-mail atualmente, no mercado dos EUA.

O estudo analisou hábitos de uso do e-mail junto a pessoas de diferentes idades, classificando-as nestes grupos:

Geração X: de 35 a 50 anos
Millenials: de 22 a 34 anos
Geração Z: de 13 a 21 anos

Uma das primeiras conclusões apresentadas foi que 83% da geração Z acredita que seu uso de e-mail permanecerá o mesmo ou aumentará nos próximos 5 anos. Veja abaixo os dados detalhados:

Ainda, o estudo apontou que as pessoas mais jovens vêem os e-mails B2C (Business to Consumer) como de alto valor em relação a essencialidade e a importância, ao compararmos com a percepção de pessoas de outras gerações.

Veja abaixo:


Para finalizar, ao analisar as respostas qualitativas do estudo, concluiu-se que o e-mail é percebido como um canal constante importante na comparação com outros canais de comunicação, e isso explica porque o e-mail segue muito forte.

Talvez essa seja uma das maiores explicações para o e-mail ser até hoje um canal tão poderoso para a comunicação entre marcas e consumidores. Veja abaixo o slide da pesquisa que mostra essa percepção:

Enfim, se você tinha alguma dúvida sobre o futuro do e-mail e se as novas gerações poderiam “colocar o uso do e-mail em risco”, esqueça isso. O e-mail está mais vivo do que nunca!

Se mesmo assim ainda tem alguma dúvida, veja esse vídeo: O e-mail morreu?

Veja aqui o vídeo que Vinícius fez ao final do primeiro dia no evento:

No segundo dia, nosso fundador Vinícius Correa participou de duas sessões:

– Deliverability: ask me anything

Especialistas da Salesforce, Sendgrid, 250OK e Mailjet

Esta era uma sessão sobre entregabilidade, mas muito diferente e MUITO produtiva. Estavam disponíveis apenas para responder a perguntas sobre o tema 4 especialistas de empresas muito conceituadas no mundo do e-mail marketing.

Todas as pessoas podiam perguntar livremente sobre qualquer assunto relacionado a entregabilidade.

Foi cerca de 1 hora e meia de muito conteúdo técnico e aprofundado sobre o assunto.

Vamos destacar aqui os pontos mais importantes:

1. Construir uma lista de qualidade e engajada é o mais importante

O básico bem feito é incrível para os resultados! Gostamos muito de falar isso aqui na Mailbiz. Primeiro precisamos fazer o básico muito bem feito para avançar nas estratégias. E falando de e-mail marketing, nada é mais básico – e importante – do que construir uma base de contatos altamente engajada.

Os especialistas foram unânimes em afirmar que se você constrói e gerencia sua lista da maneira correta, mais de 50% do caminho para ter uma boa entregabilidade já foi percorrido. E você, como está focando seus esforços na construção de lista? E como está gerenciando ela no dia-a-dia?

2. Separar contatos ativos de inativos

Não adianta captar muitos e-mails, crescer a lista rapidamente, se você não dedica a atenção necessária para segmentar os contatos ativos e inativos. Com o tempo, boa parte da lista de e-mails vai se tornando inativa, e é tarefa do profissional de marketing identificar quem são estas pessoas e iniciar com elas uma outra comunicação, visando o reengajamento.

Você tem feito isso no seu negócio?

3. Importância da reputação do domínio

Foi consensual de que os provedores estão dando cada vez mais peso à reputação do domínio para definir o potencial de entrega na caixa de entrada. Com a adoção do ipv6 em larga escala nos próximos anos, medir reputação a partir do IP será algo sem sentido.

Por isso, se você está tendo problemas para entregar e-mails na caixa de entrada, comece sua análise pela reputação do domínio. É esse o ponto de partida!

4. Adoção do DMARC

A autenticação DMARC foi apontada como essencial pelos especialistas. Se trata da melhor forma de identificar se alguém mal intencionado está usando o seu domínio para fazer spam ou phishing , além de ser uma forma inteligente de descobrir se o seu registro SPF está funcionando corretamente.

5. Utilizar diferentes sub-domínios como remetente dependendo da finalidade

Uma outra dica importante foi no sentido de utilizar sub-domínios diferentes no remetente conforme a finalidade da comunicação.

A principal separação a ser feita é entre e-mails promocionais e transacionais, mas também devem utilizar outros sub-domínios as comunicações a partir de sistemas de atendimento/CRM e meios de pagamento, por exemplo.

– Leveraging data to deliver an Email makeover

Lauren Gentile – Epsilon, Christy Ford  – BP Products North America e Mark Anderson – Aspen Dental

Na última sessão do segundo dia, foram apresentados 2 cases de sucesso de comunicação via e-mail com o uso de dados para uma comunicação mais relevante e personalizada.

Os apresentadores deixaram muito claro que o centro da comunicação deve ser o consumidor. Ele deve estar no centro de tudo. E para fazer isso acontecer, tudo começa com a criação de uma conexão emocional com cada pessoa, que ajude a gerar lealdade.

As empresas devem focar em 3 pontos para construir a conexão emocional com sua audiência:


Precisamos pensar no nosso consumidor nesses 3 aspectos:

1. Me conheça
Use dados para conhecer profundamente seu público e antecipar suas necessidades.

2. Mostre que você me conhece
Comunicação personalizada cria um diálogo poderoso e é uma forma de demonstrar que entendemos nosso público.

3. Mostre que eu tenho valor para você
A experiência do consumidor, com benefícios e ofertas especiais mostrarão o quanto o estamos valorizando.

E para se manter fiel a estas iniciativas, é importante se fazer 3 perguntas antes de enviar qualquer e-mail:


Ou seja:

1. Agora é a hora certa?

2. É relevante?

3. É recompensador para o cliente?

Na sequência, foram apresentados 2 estudos de caso. Um deles falava sobre um programa de fidelidade para clientes de uma rede de postos de combustível, que usou dados para criar e-mails altamente personalizados, que visavam atrair as pessoas a ir até os postos e acumular mais pontos.

No outro estudo de caso, foi apresentado como uma clínica odontológica se relacionava com seus pacientes com conteúdos extremamente direcionados para o que eles tinham interesse com base no tratamento que haviam feito.

Confira nesse vídeo o resumo do segundo dia:

Como você viu, o Email Evolution Conference tratou de temas muito relevantes sobre o e-mail marketing, sendo que muitos deles já tratamos diariamente aqui na Mailbiz.

Ficou claro que o e-mail marketing segue muito forte e muito vivo, que os dados são fundamentais para entregar conteúdos mais relevantes, que inteligência artificial é uma tendência sem volta e que desenvolver entregabilidade depende de querer fazer o básico bem feito antes de tudo.

Se você já é nosso cliente e deseja implementar novas melhorias na sua estratégia, fale conosco imediatamente, estamos aqui para ajudar!

E se você ainda não é nosso cliente e quer fazer o e-mail marketing funcionar de verdade, fale agora mesmo conosco. Vamos bater um papo sobre o seu negócio e, se possível, iniciar uma grande parceria.

Esperamos que você tenha aprendido mais sobre o futuro do e-mail marketing e que siga buscando implementar melhorias na sua estratégia e na sua rotina. Conte sempre conosco!

Comece a digitar e aperte Enter para buscar