Como adequar as estratégias de marketing do e-commerce à LGPD

 Em Boas práticas, E-commerce

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor no Brasil em setembro de 2020. Um ponto importante a se destacar sobre a nova lei é que ela está muito baseada no Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR), da União Europeia, que vem trabalhando a questão dos dados da sua população desde 2018 e se tornou o berço desse tipo de regulamento. 

Leia mais: 
>> Vídeo: Como o e-commerce deve se adequar à LGPD 
>> LGPD: o que é preciso saber para proteger os dados dos clientes

Para se ter uma ideia, segundo uma pesquisa da Marketo, 45% das empresas europeias disseram que iriam se adaptar à GDPR apenas para não levar multa. Enquanto a outra parte, 55%, entendeu que poderia aproveitar as mudanças como uma oportunidade de marketing para se aproximar dos seus consumidores. O resultado desse segundo grupo foi: melhor entregabilidade pela limpeza da lista de contatos, maior interesse e engajamento dos usuários e a reputação do IP mantida, já que os e-mails começaram a cair bem menos na caixa de spam

Outra pesquisa do Data & Marketing Association do Reino Unido (DMA UK) mostra que o ROI, a taxa de entrega, a percepção de confiança do consumidor aumentaram, entre outros aspectos, conforme pode se ver no gráfico abaixo: 

Qual é a relação do marketing com a LGPD?

Para que a estratégia de marketing do seu e-commerce seja realmente efetiva sem ferir os princípios da LGPD, é preciso seguir algumas regras, como veremos a seguir: 

1. Saber a origem das listas 

Saber a origem das listas de contato é importante tanto para cumprir a lei quanto para construir relacionamento com o público. Na Mailbiz, só integramos cadastros de clientes dos e-commerces na lista de e-mail marketing quando o usuário marca o checkbox autorizando o recebimento do e-mail.

2. Considerar as pop-ups

Outro ponto importante é que quem tem pop-up no seu site com mensagens do tipo “Quer receber e-mail com as nossas promoções?” também precisa adequar essa ferramenta à LGPD. Na Mailbiz, você pode incluir na sua pop-up uma frase com checkbox de concordância com sua Política de Privacidade. Todos os nossos modelos permitem a inclusão desta frase.

3. Focar no cliente 

Com a obrigatoriedade de se adequar à LGPD, uma estratégia de marketing que ganha mais relevância é o Inbound Marketing. É preciso atrair o cliente com conteúdo relevante e respeitar seu timing para se comunicar com a marca. Ao oferecer informações de qualidade para o cliente certo e no momento certo, aumentam suas chances de gerar mais engajamento e, logo, mais vendas e visibilidade positiva para a empresa. 

4. Segmentar as listas 

Por que eu vou ficar trabalhando com quem está há mais de um ano sem abrir nenhum e-mail da minha marca? É claro que você pode fazer, eventualmente, uma campanha de reengajamento, enviar um e-mail por mês para tentar reconquistar um contato inativo legítimo. É uma estratégia de marketing que está dentro da lei. 

O que não é recomendado é enviar quatro, cinco e-mails por semana para essa pessoa que está há um ano ou mais sem abrir uma mensagem sua. Isso sem falar que não é financeiramente eficiente, afinal, você poderia estar usando esse recurso de gasto e tempo em outras estratégias de comunicação e com foco nos clientes ativos. 

Enriqueça sua base sem ferir a LGPD

O enriquecimento da base de contato é uma técnica que permite à sua empresa adicionar mais informações sobre os clientes. Com mais campos de informação em mãos, fica mais fácil qualificar e, logo, encaminhar esses clientes para fechar a compra. 

Mas atenção: enriquecer sua base de contatos sem ferir a LGPD requer uma troca constante de informações entre empresas e clientes. Existem várias maneiras e canais para capturar dados do usuário, desde seu primeiro contato até o pós-venda. Entre eles, podemos citar: 

1. Call to action 

Se você tem um site e/ou blog para publicar conteúdos voltados ao seu nicho de mercado, a call to action é uma excelente opção para coleta de dados. Adicione esta chamada no final do seu texto, convidando seus leitores para registrar seus dados e receber uma newsletter mensal com conteúdo de seu interesse, por exemplo, ou outros materiais relevantes. 

2. Formulários de inscrição 

Crie formulários de registro e posicione-os em pontos estratégicos do seu site ou mesmo envie por e-mail. Mas lembre-se que, para o público responder, é importante que eles sejam formados por poucos campos e exijam respostas curtas. 

3. Conteúdos relevantes 

Antes de solicitar os dados do cliente, você deve se lembrar de oferecer algo interessante em troca. Pode ser um e-book relacionado ao seu nicho de mercado, um vídeo tutorial sobre como usar seus produtos ou mesmo cupons de desconto. 

Aproveite para investir em landing pages para captar esses dados. Esse tipo de incentivo aumenta o interesse das pessoas em compartilhar seus dados com as empresas, mas é fundamental que a finalidade e o benefício aos usuários dessa ação estejam bem claros e definidos. 

Como a Mailbiz pode ajudar 

A Mailbiz já trabalha há anos com uma série de procedimentos e boas práticas para ajudar o cliente a fazer o certo, independentemente da LGPD. Mas todas essas nossas ações se encaixam ao que é necessário para se adequar à nova lei, incluindo: 

  • Confirmação de filtro de opt-in antes dos disparos 
  • Campanhas de ativação e reativação da base 
  • Boas práticas de segmentação 
  • Prevenção de phishing (autenticação do DMARC) 

“Quem estiver começando essa jornada, não precisa entrar em pânico. Vai fazendo aos poucos, devagar, pelos pontos mais urgentes. E a Mailbiz vai estar aqui, como todo o conhecimento dos nossos especialistas, para apoiar no que for preciso”, reforça Vinícius Correa, CEO da Mailbiz.

Conte com a Mailbiz para fazer seu negócio crescer! Com a ajuda de nossos especialistas, a construção do relacionamento com seu cliente se torna mais efetiva a partir de campanhas completas e automatizadas de e-mail marketing.

Comece a digitar e aperte Enter para buscar