Era uma vez um webdesigner que trabalhava em uma loja virtual…

 Em E-commerce, Email Marketing

Era uma vez um webdesigner que trabalhava todos os dias em uma pequena loja virtual. O seu dia-a-dia era muito corrido. Ele tinha que atender a muitas coisas que o chefe solicitava: fazer banners para a loja, fazer peça de email marketing, obter e editar fotos de produtos, alterar preços, fotos e descrição de produtos e por aí vai. O chefe todos os dias cobrava que precisava vender mais e que a situação estava difícil.

Alegando falta de tempo, o chefe pedia que o webdesigner fizesse tudo sozinho relacionado a email marketing: escolha dos produtos, criação do layout e HTML das peças, escolha da linha de assunto, análise das estatísticas e o principal: que cada campanha gerasse o máximo retorno possível em cliques e vendas.

Com isso, o webdesigner fazia “do jeito que dava” todas estas tarefas, mas se sentia inseguro em boa parte delas. Afinal, o que ele ama e sabe fazer bem é webdesign. Ele sabia criar layouts muito bonitos para cada peça, mas na hora de escolher os produtos era sempre muito difícil. Não estava claro para ele quais critérios deveria seguir para incluir ou não um produto na peça.

Da mesma forma, escrever a linha de assunto era algo difícil e que ele não se sentia a vontade em fazer. Ele também não entendia porque algumas das mensagens enviadas caíam na pasta “Spam”. Ele culpava a ferramenta de email marketing sempre que isso acontecia. E o chefe dele às vezes o cobrava sobre isso, dizendo: “Olha lá, está caindo no spam! Acho que não devemos usar a palavra DESCONTO no assunto, mude isso por favor!”

Depois de tudo isso, o web designer ainda tinha a complicada tarefa de medir os resultados da campanha enviada. Ele d-e-t-e-s-t-a-v-a fazer isso! Ninguém nunca lhe explicou como medir resultado e o que significava aquele monte de número que tinha no sistema de email marketing. E ainda por cima, ele nem gostava de números! Era sempre muito chato e difícil para ele analisar os resultados.

Na cabeça do webdesigner, todos os dias em que fazia email marketing, ficavam dezenas de dúvidas. Ele não se sentia confortável tendo que fazer tantas coisas além daquilo que realmente sabia fazer: webdesign. Ele sentia que algo estava errado, que não deveria ser assim. Ele gostaria mesmo é de ser cobrado pelas tarefas que ele domina. E que o chefe dele ou alguém especializado em marketing cuidasse das tarefas mais “estratégicas”. Mas infelizmente, não era isso o que acontecia.

=======

Você é um webdesigner que trabalha com email marketing para e-commerce? Se identificou com algum ponto da história? Imagino que sim!

Pois é, esta história representa a realidade de boa parte das lojas virtuais brasileiras, infelizmente. Se você é um web designer que faz estas dezenas de atividades diariamente, imagino que sinta algum destes sentimentos quando trabalha com email marketing: medoinsegurança e até frustração. Eu sei como você se sente. Mas também sei que você não tem culpa de boa parte destes sentimentos ruins.

O que costuma causar este tipo de situação nas lojas virtuais, especialmente nas pequenas, é que não há separação entre estratégia e criação. É muito comum que quem é da área de criação, normalmente web designers, sejam incumbidos de executar tarefas estratégicas e analíticas, como definição de temas e produtos de campanhas e medição de resultados.

O que temos, na prática, é um monte de lojas virtuais, especialmente as pequenas, que não possuem uma operação organizada de email marketing. Esta desorganização toda é o que leva o desempenho para baixo, dia após dia.

Quem sai perdendo com isso é todo mundo: a loja virtual que não atinge bons resultados de vendas, o web designer que se sente sobrecarregado e frustrado, e o dono da loja virtual que fica insatisfeito com o resultado final, sempre temendo como será o futuro do negócio.

Como resolver então? Minha sugestão é: alocar cada pessoa no que ela sabe fazer de melhor. Webdesigner sabe criar. Analista de Marketing e/ou Analista Comercial sabe analisar resultado e definir estratégias de comunicação. E o dono da loja virtual, frequentemente, tem mais capacidade estratégica e analítica do que de criação, então caso seu e-commerce esteja começando e a equipe seja muito pequena, talvez não vá fugir do dono a responsabilidade de traçar toda a estratégia de comunicação do e-mail marketing. E isso engloba: definição de temas, produtos, segmentações, linha de assunto, frequência e horário de envio das campanhas, etc.

Não é pouca coisa, nem estou dizendo que é fácil. Mas quem faz este tipo de definição clara de responsabilidades aumenta – e muito – as chances de ter resultados melhores.

Fazer email marketing dar certo depende bastante desta iniciativa, especialmente nas lojas virtuais que estão bem no começo da operação. Repense como está rodando a sua operação.

Que tal começar agora a melhorar? Você pode começar baixando nosso super Guia Para Iniciantes no E-mail Marketing.

Ou então, veja este vídeo sobre o Poder do e-mail marketing para E-commerce .

Deixe um comentário

Comece a digitar e aperte Enter para buscar

e-commerces de sucessoferramentas para e-commerce de sucesso })(jQuery);