Era uma vez o dono de uma pequena loja virtual…

 Em E-commerce, Email Marketing

Era uma vez o dono de uma pequena loja virtual que vivia trabalhando mais de 10 horas por dia. A vida dele era “puro stress”. Todos os dias ele se dividia entre inúmeras tarefas, como comprar produtos, organizar o estoque, atualizar produtos no site, responder aos clientes, conferir os pagamentos dos clientes, preparar campanhas de email marketing, cobrar os funcionários e fornecedores, dentre tantas outras coisas.

Ele estava cada vez mais preocupado com a dificuldade de trazer acessos para a loja. Estava ficando muito caro anunciar na internet, ele já não sabia bem onde investir. Mas também sabia que se não investisse nada, não teria acessos e, consequentemente, não teria vendas.

Ele sabia que email marketing era mais barato que as outras mídias, então tentava enviar campanhas sempre que possível. Mas como fazia tantas coisas ao mesmo tempo, acabava conseguindo se organizar para enviar apenas uma ou no máximo duas campanhas por semana. Ele cobrava o web designer para que ele fosse mais rápido. Frequentemente reclamava que a criação das campanhas era muito demorada. A cada campanha enviada, ele acompanhava se aumentavam as vendas da loja ou não. Mas não sabia ao certo qual campanha foi boa ou ruim, afinal não registrava nada em nenhum lugar. Na semana seguinte, já nem lembrava que tipo de campanha tinha enviado na semana anterior!

Ele vivia preocupado com a entrega dos e-mails, achava que boa parte estava indo para a pasta “spam”, e com isso seu cliente não recebia. Mas ele não sabia ao certo porque isso acontecia. E nem o que fazer para melhorar neste ponto.

Outra coisa que o incomodava era que algumas de suas campanhas não geravam uma venda se quer, mesmo quando a taxa de abertura era boa. Ele não sabia ao certo porque isto acontecia e ficava bastante frustrado.

E, no fundo no fundo, ele nem sabia se os números dele eram bons ou ruins. Não sabia se estava melhorando ou piorando ao longo do tempo, até porque não tinha tempo para analisar e aprender sobre estes números.
E assim ele seguia todos os dias, trabalhando mais e mais, sem uma perspectiva positiva para o futuro.

==========

E então, se identificou com algum ponto desta história? Talvez sim, talvez não. Mas esta é uma história que representa boa parte do dia-a-dia do dono de pequenas lojas virtuais brasileiras, infelizmente.

Como eu também sou empresário, entendo exatamente quais são estas sensações desagradáveis. Sei como é ruim não ter muita certeza sobre o futuro do negócio. E como é ruim também não saber direito por onde começar para trazer mais clientes e mais vendas.

Se você está passando por uma fase como esta, meu primeiro conselho é: tente separar a estratégia da criação no dia-a-dia do email marketing. Vou explicar melhor. A estratégia é tudo o que envolve a preparação e planejamento das campanhas, antes do envio, ou seja: definição da programação mensal, dos temas, produtos, promoções, linha de assunto, segmentação, data de envio, hora de envio, etc. Já a criação é a tradução da estratégia em algo visual. É ela que materializa o objetivo da comunicação, permitindo que as pessoas entendam e se atraiam pelo que está sendo divulgado.

Separar estas duas tarefas é essencial, pois as habilidades do dono e do web designer normalmente são muito diferentes, com uma chance muito maior do dono fazer a estratégia bem feita do que o web designer. E isto não é uma crítica ao web designer, bem pelo contrário. Ele precisa se valorizar e executar o que ele sabe fazer de melhor: criação.

Portanto, esta definição de papéis é um dos passos mais importantes para criar uma operação eficiente de email marketing.

Um dos maiores problemas nas pequenas lojas virtuais é que elas não possuem na operação um Analista Comercial, Analista de Marketing ou mesmo um Gerente de E-Commerce, então acaba sendo o próprio dono quem tem maior conhecimento do negócio para poder definir toda a parte estratégica da comunicação. E o dono, por fazer tantas coisas ao mesmo tempo, se perde nas tarefas e frequentemente alega “falta de tempo”. E justamente por esta “falta de tempo”, ele delega as tarefas estratégicas de email marketing a uma pessoa que normalmente não tem condições de executá-las.

Neste caso, o problema é a priorização das tarefas. Se o dono não dedica tempo ao email marketing, é porque em sua concepção existem outras tarefas mais prioritárias. Talvez ele esteja certo, talvez não. Cada caso é um caso.

O que você não pode esquecer é que, para fazer o email marketing gerar todo o resultado que pode gerar para o seu e-commerce, alguém tem que ser bom na estratégia. Apenas criar campanha “bonita”, de modo isolado, não vai trazer resultados consistentes e expressivos.

Analisar a situação toda e definir o momento certo de contratar alguém para a função ou mesmo uma empresa especializada é o mínimo que cabe ao dono do e-commerce pequeno.

Se você deseja gerar mais vendas com email marketing, cedo ou tarde vai precisar de alguém (ou de você) na parte estratégica.

É normalmente aí, nesta escolha, que se diferenciam as empresas de alto desempenho das medíocres. Pense nisso!

Leia também este artigo: Desafios do e-commerce: como calcular o ROI

Deixe um comentário

Comece a digitar e aperte Enter para buscar

um-erro-muito-comum-sobre-listas-de-e-mailComo um serviço de e-mail marketing pode ajudar seu negócio })(jQuery);