Conheça os principais números do e-commerce no Brasil

 Em E-commerce

Apesar de estarmos passando pela maior crise econômica nacional desde 1990, o consumidor virtual brasileiro já assimilou o comércio eletrônico como um excelente canal para economizar nos custos de produtos, principalmente aqueles que possuem alto valor agregado — eletrodomésticos, eletrônicos, smartphones e itens de informática.

Mesmo com uma retração em relação a 2014, o e-commerce nacional permaneceu de pé, alcançando, mesmo assim, um crescimento de 3% em relação ao volume de pedidos, aumento do tícket médio e aumentando em 15,3% o faturamento como um todo.

Conheça os principais números do e-commerce no Brasil de acordo com a 33ª edição do relatório Webshoppers da eBit com parceria do Buscapé.

 

– Perfil dos compradores durante o ano de 2015

 

Gênero

50% dos consumidores do e-commerce nacional se identificaram como gênero masculino e 50% com o gênero feminino. No ano anterior, esses números foram de 51,4% e 48,6% respectivamente.

Faixa etária

A idade média do consumidor do e-commerce brasileiro é de 43 anos. Ele fica na maior faixa de compradores, 39%, que representa pessoas entre 35 e 49 anos de idade. Jovens com até 24 anos representaram 8%, entre 25 e 34 anos representaram 21% e acima de 50 anos ficaram com uma fatia de 33% de representação.

Renda familiar

A renda familiar média do consumidor do e-commerce nacional é de R$ 4.761,00.

Distribuição das vendas

A distribuição das vendas, por regiões do Brasil, ficou assim:

  • 37,7% — São Paulo;
  • 12,3% — Rio de Janeiro;
  • 12,0% — Minas Gerais;
  • 5,4% — Paraná;
  • 5,3% — Rio Grande do Sul;
  • 3,9% — Bahia;
  • 3,3% — Santa Catarina;
  • 2,8% — Pernambuco;
  • 2,3% — Distrito Federal;
  • 15,0% — Outras regiões.

 

– Processo de decisão de compra

O frete grátis já não é mais uma realidade predominante. Confira agora as principais informações sobre o processo de decisão de compra dos consumidores brasileiros:

Frete grátis x frete pago

Se antes os lojistas virtuais usavam o frete grátis como grande atrativo de suas lojas, hoje esse cenário mudou. 2015 terminou com 60% dos produtos sendo vendidos com frete pago. A grande virada nesse cenário ocorreu no primeiro semestre de 2014.

Pagamento e parcelamento

39,3% dos consumidores optou por pagar suas compras on-line à vista. 63,5% fez a compra parcelada em até 3x. Já 14,6% preferiu parcelar em 10x ou mais.

Formas de pagamento

O pagamento em cartão de crédito continua sendo o preferido do consumidor virtual brasileiro, com um total de 73,5%. O boleto bancário representou 19,6% e outras formas de pagamento somaram 7%.

Categorias mais vendidas

As categorias mais vendidas, em número de pedidos, foram:

  • 14% — Moda e acessórios;
  • 13% — Eletrodomésticos;
  • 11% — Telefonia e celulares;
  • 10% — Cosméticos, cuidados pessoais e itens de perfumaria;
  • 9% — Livros, revistas e assinaturas.

 

– Dados financeiros

Confira os principais dados financeiros do e-commerce brasileiro até o ano passado:

 

Pedidos

2015 terminou com um total de 106,5 milhões de pedidos, aumento de 3% em relação ao ano anterior — foram 103,4 milhões de pedidos em 2014.

 

Faturamento

Mesmo com o cenário econômico desfavorável, o e-commerce brasileiro faturou 15% a mais em 2015 do que em 2014. Foram R$ 41,3 bilhões ante R$ 35,8 bilhões.

 

Mobile Commerce

O crescimento da banda larga fixa e móvel da internet brasileira permitiu que os dispositivos móveis ampliassem a participação nas compras do varejo online. Do total de pedidos, 14,3% foram originados a partir de dispositivos móveis.

 

– Expectativa para o ano de 2016

Por mais que a situação reflita a instabilidade política, alta na inflação, taxas elevadas de juros, falta de crédito, aumento no índice de desemprego e um aumento no conservadorismo dos consumidores, os economistas ainda consideram que 2016 pode repetir um certo crescimento, assim como ocorreu em 2015.

 

Faturamento

A previsão de crescimento do faturamento do e-commerce em 2016 é de 8%, somando um total de R$ 44,6 bilhões.

 

Tíquete médio

A estimativa em relação ao crescimento do tíquete médio para este ano e de 8%, saltando de R$ 388,00 para R$ 419,00.

 

Pedidos

Já o volume de pedidos em 2016 tende a ficar igual ao do ano passado, ou muito próximo, sem crescimento ou retração.

Diante desse cenário, conte-nos nos comentários abaixo quais são suas expectativas para o final desse ano em relação ao e-commerce brasileiro. Você já está se preparando para aumentar suas vendas na Black Friday?

Deixe um comentário

Comece a digitar e aperte Enter para buscar

Para onde está indo o seu e-commercecheckout-no-ecommerce-5-dicas-para-otimizalo.jpeg })(jQuery);